😷 COVID-19: Novo Horário de Atendimento! Via Telefone: Seg a Sex das 09h às 16h | Via CHAT, E-mail e WhatsApp: Seg a Sex das 09h às 18h

Bullying na escola: Você sabe como lidar com essa situação?

Tempo estimado de leitura: 6 minutos

O bullying é um assunto grave e recorrente em diversos ambientes, mas é nas escolas que ele se faz cada vez mais presente e provoca desentendimentos entre alunos, professores e funcionários. Essa prática prejudica o desenvolvimento das atividades em sala de aula e o desempenho dos alunos, além de poder causar danos físicos e psicológicos.

Para combater o bullying na escola é preciso que os profissionais estejam atentos e saibam identificar os diferentes tipos de agressões. Por isso, é importante que a instituição encontre formas de evitar as consequências negativas para o bem-estar dos alunos e para o processo de ensino e aprendizagem.

O que é bullying?

Bullying é uma palavra com origem no inglês e significa o ato de ameaçar, agredir ou intimidar outra pessoa e, no ambiente escolar, pode acontecer com alunos, professores e outros profissionais da instituição.

Essa agressão intencional e repetitiva pode ser física, verbal, sexual, virtual (também chamado cyberbullying) ou psicológica e é direcionada a uma pessoa ou grupo mais vulnerável, causando danos físicos e psicológicos às vítimas. 

Nesses casos, os alunos podem desenvolver graves problemas emocionais, como quadros de estresse, depressão, ansiedade e dificuldade de aprendizado e concentração – o que pode resultar em evasão escolar.

Este é um dos grandes desafios a serem enfrentados por professores e gestores, pois impacta a instituição de ensino como um todo, não apenas o cotidiano dos alunos. 

As práticas mais comuns de bullying nas escolas são apelidos humilhantes, brigas constantes, xingamentos, zombarias, intimidações, agressões e até mesmo exposição da vítima diante de outras pessoas.

Todas essas formas de agressão são direcionadas à vítima que, na maioria das vezes, não entende o motivo de ser o alvo desses ataques. Essa prática também pode acontecer com professores, diretores e funcionários da escola, que podem desenvolver transtornos psicológicos e até mesmo desistir da profissão.

Por isso, é fundamental que a escola procure entender como esse problema se manifesta e crie estratégias assertivas de prevenção e combate.

Como combater o bullying na escola

Para combater o bullying na escola, é preciso identificar o problema e levá-lo a sério, já que as consequências podem ter grande impacto no dia a dia da instituição. Assim, a escola pode agir tanto buscando medidas de prevenção quanto formas de intervenção para solucionar o problema.

  • Prevenção

A prevenção ao bullying na escola é uma das principais frentes em que a escola pode atuar, incentivando a conscientização dos alunos e falando abertamente sobre os traumas e consequências dessa prática.

Além disso, é importante deixar claro que a escola está atenta e irá tomar as medidas necessárias para punir os agressores. Essa medida é importante porque muitas vezes os alunos não entendem a gravidade e o impacto das suas ações. 

Os professores também podem trabalhar em sala de aula sobre a Lei n° 13.185, de 2015, que institui o Programa de Combate à Intimidação Sistemática (bullying). O objetivo da lei é conscientizar e combater essas práticas.

  • Intervenção

Para que as medidas de intervenção sejam efetivas, a escola deve capacitar os professores e a equipe pedagógica para que todos saibam identificar e administrar os conflitos entre alunos. Além disso, é preciso que as vítimas tenham o suporte necessário para lidar com os acontecimentos e seguir em frente.

Também é importante que a escola encontre maneiras de punir e educar o agressor, para que entenda a gravidade de seus atos e não volte a repeti-los. Para isso, é preciso que os docentes e os estudantes recebam informações corretas sobre o assunto e tenham as ferramentas necessárias para transformar a convivência social.

  • Conscientização e capacitação

Para combater a violência na escola é preciso que os professores e alunos saibam o que é bullying, como identificá-lo e como agir se virem algo acontecendo. Por isso, a escola deve investir em conscientização e capacitação, por meio de eventos, palestras e feiras com explicações sobre o assunto.

Para garantir a eficácia dessa iniciativa, é importante que os alunos tenham um papel ativo no seu desenvolvimento e se engajem na discussão. Também é fundamental que eles possam se expressar, tirar dúvidas e dar exemplos de acordo com sua realidade. 

Os docentes também devem participar de cursos de formação continuada para saber como identificar o problema e como agir. Nesse sentido, a instituição deve dar todo o suporte necessário para que os professores possam se posicionar e tomar atitudes com segurança.

  • Desenvolvimento de competências socioemocionais

Mais do que transmitir o conteúdo das disciplinas, a escola tem o papel de formar cidadãos e pessoas ativas na sociedade. Assim, também é função da escola ajudar os alunos a desenvolver empatia, autoconfiança, comunicação e resolução de conflitos para que aprendam a lidar com as diferenças e respeitar o próximo.

Para isso, a escola pode implementar ações tanto de prevenção quanto de intervenção, já que desenvolver competências socioemocionais ajuda a reduzir o número de agressões, aprimora a capacidade de comunicação dos estudantes e contribui para um ambiente melhor para todos os envolvidos na gestão escolar.

  • Criação de uma ouvidoria

Muitos alunos veem o bullying acontecendo ou sofrem agressões e não contam para ninguém. 

Para combater esse problema, a escola deve criar um espaço seguro de diálogo com orientadores, professores e até mesmo psicólogos para que os estudantes possam tirar dúvidas e relatar problemas.

A criação de uma ouvidoria ajuda a identificar essas práticas ainda no início, facilitando a atuação dos professores e pedagogos. Além disso, essa medida demonstra que a escola está preocupada e realmente interessada em resolver o problema do bullying.

7 de abril – Dia Nacional de Combate ao Bullying e à Violência na Escola

O dia 7 de abril é considerado o Dia Nacional de Combate ao Bullying e à Violência na Escola e pode ser uma oportunidade para a instituição começar a abordar esse assunto com os alunos e colocar em prática algumas das medidas já citadas.

Nós da Geha, empresa desenvolvedora do URÂNIA, temos como missão melhorar a qualidade de vida das pessoas ligadas à educação e o combate ao bullying na escola faz parte das nossas ações. 

Por isso, o nosso software de horário escolar foi desenvolvido para atender às necessidades de professores, alunos e gestores escolares.

Agora que você já conhece as medidas para combater o bullying na escola, saiba como manter a motivação dos alunos em sala de aula.