😷 COVID-19: Novo Horário de Atendimento! Via Telefone: Seg a Sex das 09h às 16h | Via CHAT, E-mail e WhatsApp: Seg a Sex das 09h às 18h

O que são soft skills e por que devem ser ensinadas na escola?

Tempo estimado de leitura: 4 minutos

A transformação digital atingiu diversos setores da sociedade, inclusive o trabalho e a educação. Assim, o avanço de tecnologias como robótica e inteligência artificial, por exemplo, tornou algumas funções obsoletas e fez com que as empresas passassem a valorizar as soft skills que não podem ser reproduzidas pela tecnologia.

Nesse cenário, criatividade, empatia, resolução de conflitos e relação interpessoal são algumas soft skills consideradas como diferenciais para o mercado de trabalho, no lugar de habilidades técnicas que podem ser facilmente aprendidas (hard skills). 

Com essa mudança de paradigma, é importante que as escolas invistam cada vez mais na formação completa dos estudantes.

O que são soft skills?

As soft skills são as habilidades mentais, emocionais e sociais ligadas ao comportamento humano e à personalidade de cada indivíduo. Por isso, dizem respeito à maneira como cada um se relaciona e interage com as pessoas e o ambiente ao seu redor.

Já as hard skills são as habilidades técnicas e objetivas que podem ser adquiridas e mensuradas, como domínio de uma ferramenta, operação de máquinas ou fluência em um idioma, por exemplo.

Assim, enquanto as hard skills podem ser aprendidas por meio de aulas, livros e apostilas, as soft skills são desenvolvidas desde a infância e apresentam tanta importância para o dia a dia quanto as habilidades técnicas.

Algumas soft skills importantes para a formação dos alunos como indivíduos, são:

  • Pensamento crítico;
  • Criatividade;
  • Ética;
  • Colaboração;
  • Comunicação;
  • Empatia;
  • Relacionamento interpessoal;
  • Gestão de tempo;
  • Inteligência Financeira;
  • Resiliência;
  • Liderança;
  • Adaptabilidade;
  • Negociação;
  • Tomada de decisões.

Em alguns casos, as empresas consideram mais importante contratar alguém com as habilidades e competências sociais já desenvolvidas e investir no aprendizado técnico, por exemplo. 

No início do ano, a equipe do LinkedIn Learning realizou uma análise de dados com mais de 660 milhões de profissionais e mais de 20 milhões de vagas para identificar as habilidades mais buscadas pelas empresas. 

Segundo o levantamento, disponível em inglês, as soft skills que as empresas mais precisam são:

  1. Criatividade;
  2. Persuasão;
  3. Colaboração;
  4. Adaptabilidade;
  5. Inteligência emocional.

Por isso, os indivíduos que tenham um equilíbrio entre as duas formas de inteligência conseguem se destacar e alcançar posições melhores no mercado de trabalho.

A importância e os desafios de ensinar soft skills em sala de aula

Nesse cenário, as escolas têm o grande desafio de adaptar-se aos novos tempos e formar alunos que, no futuro, terão profissões que ainda serão criadas, para satisfazer necessidades que surgirão pelo caminho.

Por isso, o modelo de ensino unilateral, em que apenas o professor fala e transmite o conteúdo aos estudantes, está perdendo espaço para metodologias inovadoras que levam em consideração a formação completa dos estudantes desde a infância.

A própria Base Nacional Comum Curricular (BNCC) defende o desenvolvimento integral dos estudantes e inclui o ensino de soft skills. As competências gerais, por exemplo, incluem comunicação, argumentação, empatia e cooperação – habilidades subjetivas, mas que podem ser desenvolvidas em sala de aula e principalmente no convívio dentro da comunidade escolar.

Entre as competências específicas de cada área do conhecimento também estão as habilidades emocionais e sociais, como a descrita na parte de linguagens para o Ensino Fundamental:

“Utilizar diferentes linguagens para defender pontos de vista que respeitem o outro e promovam os direitos humanos, a consciência socioambiental e o consumo responsável em âmbito local, regional e global, atuando criticamente frente às questões do mundo contemporâneo”. – Base Nacional Comum Curricular

Nesse sentido, a BNCC determina que as escolas trabalhem essas competências em conjunto com os conteúdos curriculares, de modo que os alunos tenham uma formação completa enquanto cidadãos e futuros profissionais.

Para conciliar essas atividades e criar horários escolares com alta qualidade pedagógica, é fundamental contar com ferramentas tecnológicas, a exemplo do URÂNIA que, ao resolver as grades horárias de sua instituição, também leva em consideração a utilização de ambientes diversos, muito úteis no momento de programar uma atividade de sociabilização, unindo a escola toda ou algumas turmas e um momento específico. 

Nós da Geha Sistemas Especialistas, empresa desenvolvedora do URÂNIA, acreditamos na importância da educação e temos como missão contribuir com a qualidade de vida das pessoas ligadas ao ensino.

Por isso, desenvolvemos um software especializado na elaboração de horários escolares equilibrados para que o corpo docente tenha tempo para dedicar-se ao que realmente importa: a educação.

Com o URÂNIA, o gestor elabora grades otimizadas para facilitar o desenvolvimento de soft skills e outras habilidades importantes para a formação dos alunos. Para saber mais sobre o software, entre em contato conosco e tire todas as suas dúvidas.