⏰ HORÁRIO DE ATENDIMENTO: SEG. A SEX. DAS 08H ÀS 18H ☎️ 0800 702 2011 📧 CONTATO@HORARIO.COM.BR

Mapa mental como ferramenta de gestão democrática

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

mapa mental

Gestão da sala de aula, problemas disciplinares, dificuldades no processo de aprendizagem e colaboração entre alunos e professores são apenas alguns dos desafios da gestão escolar. Assim, o diretor precisa encontrar maneiras de resolver os problemas pedagógicos da escola levando em consideração os interesses e demandas dos diferentes atores que formam a instituição.

Uma maneira de facilitar esse processo e resolver os problemas pedagógicos da escola é envolver toda a comunidade acadêmica (pais, alunos, professores e demais funcionários) nas decisões que impactam a rotina escolar.

A gestão escolar democrática é um dos métodos administrativos que podem ser aplicados para engajar todos os grupos envolvidos e melhorar o desempenho dos alunos. 

Porém, para que haja a participação efetiva dos membros da comunidade escolar, é preciso que o gestor crie um ambiente democrático e convidativo, além de coordenar os esforços de todos os atores do processo educacional.

Isso pode ser feito de várias maneiras, dependendo da realidade da escola e do objetivo de cada ação. Os alunos e professores podem criar um conselho escolar e um grêmio estudantil, por exemplo, para participar das decisões sobre a escola. 

Além disso, o diretor pode fazer uma gestão democrática baseada em votações ou utilizar ferramentas como os mapas mentais para organizar as ideias e integrar todos os atores permitindo que tenham voz no processo decisório e na resolução de problemas que afetam a coletividade.

Muito usados também para a melhor fixação do conteúdo abordado em sala de aula, os mapas mentais são úteis no planejamento de implantação de processos de melhorias pedagógicas na escola, iniciando com a listagem de problemas percebidos e as várias formas de abordagem possíveis para a sua resolução.

Os mapas mentais são uma alternativa simples de ser executada, em que os participantes realizam uma livre associação de palavras, ideias e conceitos relacionados ao tema central. 

Esse método pode ser utilizado para resolver um problema coletivo ou mesmo para incentivar a participação de diferentes grupos na criação de novos projetos. Confira o passo a passo para utilizar esta poderosa ferramenta no auxílio à resolução de problemas pedagógicos em sua escola:

1.Faça um diagnóstico e mobilize a comunidade escolar

O primeiro passo é levantar os vários problemas pedagógicos que a escola enfrenta (evasão, integração, respeito…) e reunir o máximo de informações relacionadas a ele. 

Depois, o gestor deve começar a organizar grupos de trabalho que reúnam diversos segmentos da comunidade escolar para que todos compartilhem responsabilidades e pontos de vista para a construção coletiva.

Nesta etapa, alguns documentos, como o Projeto Político Pedagógico (PPP), devem ser analisados pelos participantes para balizar a tomada de decisões e garantir que as ações sugeridas estejam alinhadas à realidade da escola.

2.Organize um brainstorming com os participantes 

O brainstorming é uma “chuva de ideias” para estimular que os participantes “pensem fora da caixa” e apresentem resoluções novas para antigos problemas.

Para isso, o gestor pode apresentar o problema utilizando recursos lúdicos, como um vídeo ou uma história, e depois criar uma pergunta para ficar no centro do mapa mental e estimular a associação de palavras.

Depois, são distribuídos papéis coloridos cortados ou Post-its para os grupos de trabalho. Os participantes devem ser orientados a anotar suas ideias de acordo com o tema e colar os papéis ao redor da pergunta principal.

Cada ideia irá gerar uma nova rodada de associações até o tempo esgotar. A partir disso, o gestor pode estimular novas reflexões e discussões sobre o que foi apresentado, garantindo que todos tenham voz e as opiniões sejam respeitadas.

3.Acompanhe o planejamento e construção da solução

Nesta etapa, a comunidade escolar irá planejar o desenvolvimento do projeto, estabelecendo metas, prazos, pessoas responsáveis e formas de avaliar seu funcionamento.

A partir disso, é possível criar um plano de ação detalhado de acordo com a realidade da escola e organizar todas as etapas para a solução do problema em questão, desde o planejamento até sua finalização.

4.Avalie a realização do projeto e a solução encontrada

Após a última etapa, é importante que os grupos façam um balanço da experiência e avaliem os resultados conquistados com relação aos objetivos iniciais. 

Nesse sentido, o gestor pode fazer perguntas para estimular a reflexão dos participantes sobre os erros e acertos do processo, como ele pode ser melhorado, quais os impactos da solução na realidade da escola e o que cada um aprendeu com a atividade.

Com isso, a aplicação da gestão democrática no dia a dia da escola também contribui para a formação dos alunos como cidadãos, desenvolvendo habilidades como argumentação, resolução de problemas e empatia. 

Como o URÂNIA ajuda a resolver problemas pedagógicos na escola

Muitos desafios do dia a dia da escola acontecem por problemas com organização e falta de tempo. 

E a melhor maneira de resolvê-los é contar com o URÂNIA para elaborar o horário escolar.

Com o software, é possível criar grades equilibradas e com alta qualidade pedagógica, respeitando a disponibilidade dos professores. 

As novas funções do URÂNIA também possibilitam a elaboração de horários híbridos para atender às necessidades específicas de cada escola.

Assim, é possível manter a instituição organizada durante todo o ano letivo e otimizar o tempo de gestores e professores para facilitar a resolução de problemas pedagógicos na escola. Entre em contato conosco e descubra como o URÂNIA melhora o dia a dia da gestão escolar.