⏰ HORÁRIO DE ATENDIMENTO: SEG. A SEX. DAS 08H ÀS 18H ☎️ 0800 702 2011 📧 CONTATO@HORARIO.COM.BR

Setembro Amarelo: a importância de conversar sobre saúde mental nas escolas

Tempo estimado de leitura: 8 minutos

Entenda o que é Setembro Amarelo e a importância de conversar sobre saúde mental nas escolas.

A adolescência é uma fase que costuma trazer uma série de mudanças físicas e emocionais, o que pode acabar afetando a saúde mental dos jovens. Por isso, trabalhar a campanha Setembro Amarelo nas escolas é uma forma de conscientizar os alunos e profissionais sobre a prevenção ao suicídio e incentivar a busca por ajuda psicológica quando necessário.

A campanha Setembro Amarelo foi criada em 2015 pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) como conscientização sobre a prevenção do suicídio. A data foi escolhida como parte das ações do Dia Mundial de Prevenção do Suicídio, em 10 de setembro.

O suicídio é um assunto bastante delicado, mas é importante que seja debatido na sociedade como uma forma de prevenção, visando a salvar vidas.

Por que é importante debater sobre suicídio nas escolas?

Durante a infância e adolescência, a escola é um dos principais espaços de sociabilização e formação.

É neste ambiente que as crianças e adolescentes passam a maior parte do tempo, o que possibilita a identificação de comportamentos como queda do rendimento escolar, isolamento, dificuldade de relacionamento, sinais de automutilação, abuso de álcool e drogas, entre outros sinais de que a saúde mental do aluno pode estar sendo prejudicada.

Assim, as escolas têm um papel importante na prevenção e acolhimento dos alunos de diversas idades, incentivando a busca por ajuda psicológica especializada.

Nesse sentido, o gestor também é responsável por criar um ambiente seguro, com uma cultura de diálogo que promova o senso de comunidade e pertencimento de alunos, professores e demais profissionais.

Como abordar o Setembro Amarelo nas escolas?

Em primeiro lugar, é importante que a abordagem do Setembro Amarelo nas escolas seja um espaço seguro, deixando claro para os alunos que não há nenhum tipo de julgamento.

A partir disso, é fundamental estimular o diálogo e a empatia, evitando situações de discriminação e estigmas relacionados à saúde mental. Algumas formas de falar sobre a campanha nas instituições de ensino são:

  • Palestras

Para realizar uma palestra, o gestor pode convidar profissionais da psicologia ou pessoas que trabalham na prevenção do suicídio, como voluntários do CVV ou ONG’s da comunidade.

Durante a ação, é importante ensinar os jovens a identificar os fatores de risco e apontar algumas soluções, como terapia, exercícios físicos, mudança de hábitos nocivos, entre outros.

Assim, os alunos e professores poderão tirar dúvidas e entender melhor os fatores que podem levar o jovem ao suicídio, quais são os sinais e como lidar com esses problemas.

  • Rodas de conversa e debates

Outra forma de abordar o tema e fomentar o diálogo sobre assuntos de saúde mental é criar rodas de conversa e debates mediados por um professor ou profissional de psicologia.

Neste momento, os alunos poderão discutir suas experiências, tirar dúvidas e dizer o que pensam sobre o tema.

Além disso, em um espaço seguro para a conversa é possível entender melhor como os alunos estão e identificar potenciais fatores de risco.

  • Cartazes e ações feitas pelos alunos

Uma maneira de envolver os alunos no tema e incentivar o diálogo é propor a criação de cartazes e fixação na escola para atrair a atenção das pessoas.

Com o auxílio dos professores, os adolescentes irão pesquisar sobre o assunto e debater com outros grupos de uma forma prática e criativa.

Além disso, os docentes podem utilizar filmes, séries de televisão, livros, músicas e outros exemplos da cultura pop para estimular o debate.

O Setembro Amarelo é uma oportunidade para a instituição abordar assuntos relacionados à saúde mental e promover a conversa entre alunos, professores e a comunidade escolar.

Nós da Geha, empresa desenvolvedora do URÂNIA, temos como missão melhorar a qualidade de vida das pessoas ligadas à educação e incentivamos o diálogo sobre saúde mental e a busca por ajuda psicológica quando necessário.

Por isso, o nosso software para organização de horário escolar foi desenvolvido para atender às necessidades de professores, alunos e gestores escolares, respeitando disponibilidades e valorizando o tempo livre de qualidade. Para saber mais sobre o URÂNIA, entre em contato conosco.