😷 COVID-19: Novo Horário de Atendimento! Via Telefone: Seg a Sex das 09h às 16h | Via CHAT, E-mail e WhatsApp: Seg a Sex das 09h às 18h

A importância da prática da empatia na escola

Tempo estimado de leitura: 4 minutos

empatia na escola

O avanço da tecnologia e a automação de diversas tarefas levaram o mercado de trabalho a valorizar mais as chamadas soft skills, ou habilidades socioemocionais. As escolas, pensando na formação completa dos alunos, também passaram a dar mais espaço para essas competências no currículo, entre elas a empatia.

A empatia é a capacidade de se colocar no lugar de outra pessoa para entender seus sentimentos e emoções. Com isso, conseguimos ouvir o outro sem julgamentos, reconhecer diferentes perspectivas e oferecer ajuda, seja na escola, no trabalho ou na vida pessoal.

Essa habilidade é desenvolvida ao longo da vida a partir do relacionamento com outras pessoas e deve ser trabalhada desde a Educação Infantil, com atividades que promovam o reconhecimento e o entendimento das emoções.

Na escola, também é importante que os professores e a equipe pedagógica desenvolvam a empatia para entenderem melhor os alunos, reconhecerem suas angústias e oferecerem o apoio adequado. 

Em momentos de crise e mudanças repentinas, essa capacidade é ainda mais importante para que o processo de ensino e aprendizado ocorra de maneira efetiva.

Para isso, é importante que os docentes mostrem-se acessíveis aos alunos e tenham uma preocupação genuína em dialogar para resolver problemas e conflitos.

Além disso, a prática e o incentivo da empatia na escola também é uma forma de prevenir o bullying, pois os alunos tornam-se mais próximos e deixam de perceber as diferenças entre si como algo negativo.

Como promover a empatia na escola entre os alunos?

É importante dizer que a empatia não é uma ciência que se pode ensinar formalmente. A prática da empatia se dá através do exemplo e deve tornar-se parte da cultura. Ou seja, deve ser praticada por todos os professores, membros da equipe pedagógica e outros profissionais que participam do dia a dia.

Para começar, o professor pode conversar com os alunos sobre sentimentos e emoções, destacando a importância do acolhimento de sentimentos bons e ruins, para que eles entendam que as pessoas podem ter impressões diferentes sobre a mesma situação.

É importante criar um espaço de diálogo e troca de percepções, de modo que aprendam a lidar com as emoções em contextos variados e conversem sobre seus sentimentos.

As atividades lúdicas, como contação de histórias e apresentações de teatro, por exemplo, também contribuem para que os alunos mergulhem no ponto de vista dos personagens e entendam suas dificuldades ao longo da jornada.

Outra maneira de desenvolver esta e outras habilidades comportamentais e emocionais é incentivar jogos e esportes em grupo. Com isso, os estudantes aprendem sobre a noção de coletividade e trabalho em equipe, competências fundamentais para construir relacionamentos mais saudáveis.

Ao final dessas atividades, o professor pode realizar uma discussão na classe e incentivar os alunos a compartilharem suas impressões e dificuldades em um espaço seguro para o diálogo.

Assim, para facilitar o ensino de soft skills, é importante que as disciplinas sejam dispostas de maneira equilibrada no horário escolar, muitas vezes juntando ou separando turmas, ou ainda gerenciando o uso de teatros e salas ambientes para as diversas práticas. Para colocar em prática todos estes detalhes, use as grades geradas pelo URÂNIA, pois elas alta qualidade pedagógica e otimizam o tempo de gestores e professores para que possam dedicar-se ao aprendizado e desenvolvimento dos alunos.

Com uma grade bem resolvida, é possível valorizar a empatia na escola através da prática de metodologias ativas que tornam o processo de ensino e aprendizado muito mais eficiente. Conte com o URÂNIA para resolver os horários escolares da sua instituição e contribuir para a qualidade do ensino.