⏰ HORÁRIO DE ATENDIMENTO: SEG. A SEX. DAS 08H ÀS 18H | ☎️ 0800 702 2011 📧 CONTATO@HORARIO.COM.BR

Quais os possíveis impactos do metaverso na educação?

Tempo estimado de leitura: 10 minutos

Entenda o que é metaverso e quais os possíveis impactos dessa tecnologia imersiva na educação.

O metaverso é um dos assuntos mais comentados dos últimos meses. Esse avanço tecnológico surge como uma ferramenta que pode ser aplicada em diversos segmentos da sociedade, inclusive na educação. Ao criar ambientes imersivos e interativos, a tendência é que a aprendizagem seja mais atrativa para os alunos.

O que é metaverso?

Antes de falarmos sobre o metaverso na educação, é importante entender o que é esse conceito que se popularizou nos últimos tempos devido ao fundador do Facebook, Mark Zuckerberg.

Em outubro de 2021, ele anunciou a mudança do nome da empresa de Facebook para Meta, uma referência ao livro de ficção científica Snow Crash, de Neal Stephenson, publicado em 1992.

De acordo com Zuckerberg, o metaverso é uma evolução da Internet em que o usuário deixa de estar diante da experiência para vivê-la de forma imersiva e interativa.

O metaverso é um ambiente virtual em que os usuários podem realizar as mesmas coisas do mundo real, como fazer compras, encontrar pessoas, visitar museus, estudar e trabalhar.

Na prática, ao utilizar equipamentos como óculos de realidade aumentada ou virtual e luvas sensoriais, será possível entrar em um mundo online com avatares holográficos e, tornando possível interagir com objetos e informações variadas.

O metaverso e a educação

Desde o primeiro anúncio desse mundo virtual, uma das questões mais debatidas é como essa tecnologia poderá ser usada para a educação.

No vídeo de lançamento da Meta, há um exemplo de uma aluna que está fazendo seu dever de astrofísica usando as mãos para manipular uma imagem interativa do sistema solar, de modo que possa entendê-lo com maior profundidade.

Outra cena mostra um estudante andando pela Roma Antiga, graças a dispositivos imersivos como óculos e fones de ouvido de realidade virtual, podendo observar as construções, as pessoas e vivenciando a experiência da época.

Porém, essas não são as únicas possibilidades e a ideia é que a educação aplicada ao metaverso vá muito além do que foi anunciado pela Meta.

No setor educacional, a ideia atual é desenvolver, aperfeiçoar e popularizar as ferramentas de ensino híbrido, de forma a criar um modelo de ensino e aprendizagem mais sofisticado e atrativo.

Assim, ao invés de somente ver o conteúdo, os estudantes estarão no conteúdo.

A tecnologia e o futuro da educação

Embora os equipamentos de realidade virtual ainda não sejam totalmente acessíveis e essa realidade ainda esteja um pouco distante, games como Roblox e Fortnite já estão desenvolvendo soluções baseadas em educação.

Esses jogos são importantes para o desenvolvimento do metaverso porque criam uma sensação de imersão muito forte e têm a capacidade de engajar os usuários, grande parte deles crianças e adolescentes que já estão se habituando a um futuro com cada vez menos barreiras entre o mundo físico e o virtual.

De um ponto de vista educacional, os games podem ajudar a envolver os alunos no próprio aprendizado, ajudando a explorar problemas do dia a dia e desenvolvendo habilidades como computação, empatia e cidadania digital.

Este assunto está presente inclusive na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) que, entre suas competências, reconhece o papel da tecnologia no desenvolvimento da nova geração e aponta que as escolas devem incentivar os alunos a dominarem a tecnologia de maneira saudável, ética e positiva nas diversas práticas sociais (incluindo as escolares).

Ainda que o metaverso tenha um grande potencial para ser usado no futuro da educação, ele é uma ferramenta que deve ser usada com cuidado e planejamento, dando suporte a metodologias ativas de ensino que contam com a mediação dos professores.

Para isso, o ensino híbrido é uma tendência cada vez mais importante para garantir que os alunos estejam recebendo os estímulos da tecnologia para o aprendizado, mas também desenvolvam o pensamento crítico necessário para vivenciar o conteúdo e aplicá-lo em seu dia a dia.

Com as aulas presenciais, os professores poderão tirar dúvidas, guiar as visitas ao ambiente virtual e promover atividades em grupo que potencializam as experiências online.

Para isso, é importante contar com a tecnologia também no dia a dia da gestão escolar, otimizando processos internos e contribuindo para manter a escola organizada o ano inteiro.

O URÂNIA é uma solução desenvolvida para facilitar o trabalho dos profissionais da educação na elaboração do horário escolar e está preparado para dar todo o suporte à equipe de gestão.

Em um cenário inovador, a tecnologia será uma das principais aliadas de gestores e professores, tanto em escolas públicas quanto privadas, pois ajuda a automatizar processos e resolver burocracias, economizando tempo, gerando economia e aumentando a eficiência.

Entre em contato conosco e conheça todas as vantagens de montar grades horárias com o UR NIA.