⏰ HORÁRIO DE ATENDIMENTO: SEG. A SEX. DAS 08H ÀS 18H | ☎️ 0800 702 2011 📧 CONTATO@HORARIO.COM.BR

Da avaliação ao planejamento: como criar um processo contínuo de aprendizado

Tempo estimado de leitura: 10 minutos

Confira nossas dicas para que os professores criem um processo contínuo de análise do desempenho de seus alunos.

Em geral, a ideia de avaliação está relacionada a um julgamento sobre algo, com o objetivo de ordenar e classificar o que (ou quem) é melhor de acordo com determinados padrões. No entanto, avaliar deve ser um processo contínuo para poder definir novos direcionamentos e criar planejamentos que ajudem a promover a aprendizagem e evolução dos estudantes.

A avaliação deve ir além do ato de julgar ou medir, oferecendo ao professor parâmetros bem fundamentados para compreender os processos do contexto escolar. Para isso, o chamado “professor investigador” tem a capacidade de sistematizar informações para traduzir a eficiência de suas dinâmicas e aprimorar suas ações de acordo com os objetivos de ensino.

Nesse sentido, os dados de que o educador dispõe – como provas, diário de frequência, lista de tarefas, narrativas dos alunos ou outros materiais relacionados a aprendizagem e engajamento – podem ser usados para investigar a rotina da escola e a realidade dos estudantes.

A partir da análise desses materiais, bem como de outros elementos de pesquisa acadêmica, o professor pode investigar a própria prática e avaliar quais as dinâmicas mais adequadas a diferentes contextos e aspectos da aprendizagem.

Essa análise pode ser feita de diversas formas, como utilizar uma planilha com a contagem de frequência em conjunto com o checklist de atividades, por exemplo, para identificar o engajamento comportamental dos alunos.

Dessa forma, a avaliação não é o fim do trabalho do professor, que deve ter um olhar voltado para o desenvolvimento constante dos estudantes. Embora as provas sejam importantes para trazer informações sobre o aprendizado, é interessante dar aos alunos outras formas de expressar o que sabem.

A avaliação, portanto, deve ser utilizada para o professor repensar sua prática, fazer ajustes e pensar nos próximos passos.

Como criar novas propostas de ensino: do planejamento à avaliação constante

No início do ano letivo, uma forma de iniciar o planejamento é verificar, entre os conteúdos e habilidades do ano anterior, quais são os pré-requisitos daquela turma.

Essas aprendizagens podem ser investigadas por meio de avaliações diagnósticas que irão mostrar o quanto os alunos dominam determinado assunto ou se será necessário retomá-lo.

Além disso, o professor pode buscar o histórico dos alunos e o que as avaliações do ano anterior, junto ao diagnóstico inicial, dizem sobre sua aprendizagem.

Se possível, o educador pode conversar com os professores do ano anterior e ouvir o que os alunos têm a dizer sobre o tema. A partir dessas informações, é possível construir o panorama da turma e desenhar um plano de ação.

Na prática, o docente pode começar elencando os pontos de atenção e os objetivos que serão utilizados como referência para o planejamento das atividades, levando em consideração a diversidade da turma e o avanço individual de cada criança ou adolescente.

Neste momento inicial, também é importante pensar em algumas perguntas fundamentais para avaliar a experiência e que irão guiar o olhar do profissional, facilitando a análise futura.

O próximo passo é o planejamento dos registros que irão servir como suporte para avaliação, dependendo do tipo da proposta e os objetivos a serem alcançados.

Durante a execução da atividade, é importante que o professor mantenha um olhar atento e faça os registros que foram planejados, com os detalhes relevantes para a avaliação posterior.

Depois, é o momento de retomar os registros e as perguntas que foram levantadas no planejamento, refletindo sobre o andamento da atividade, o envolvimento e a receptividade dos estudantes, bem como uma autoavaliação da prática docente.

Com essas informações em mãos, é possível pensar nas próximas propostas a partir do que deu certo, as necessidades da turma e os pontos de melhoria na organização do espaço e das atividades.

Para que os professores tenham tempo hábil de investir na avaliação e planejamento de novas propostas, é fundamental ter um horário escolar eficiente e que respeite o tempo dos docentes.

O URÂNIA é uma solução focada em gestão de horários escolares. Com ele é possível montar grades de forma rápida e com alta qualidade pedagógica, promovendo assim a economia de um valioso tempo para gestores e professores.

O horário tem um grande impacto no dia a dia de alunos, docentes e da gestão escolar. Por isso, o URÂNIA tem diversos recursos que melhoram a produtividade dos educadores e o desempenho dos estudantes.

Entre em contato conosco e conheça todas as vantagens do UR NIA no dia a dia da gestão escolar.